jusbrasil.com.br
14 de Outubro de 2019

Gestão jurídica e tecnologia com foco em crescimento

Saiba como conectar tecnologia e gestão para dar um salto na sua carreira jurídica.

Jusbrasil, Advogado
Publicado por Jusbrasil
há 25 dias

Elaborar as melhores teses, fazer defesas brilhantes, proferir sustentações orais memoráveis e mudar entendimentos de tribunais são sinais de sucesso para (quase) todo advogado. Mas se você quer levar o seu escritório ou departamento jurídico para um próximo nível, são as suas habilidades de gestão que vão fazer a diferença de verdade.

Gestão jurídica e o advogado empreendedor

Para assumir posições de liderança, advogados têm que se aventurar em áreas do conhecimento que extrapolam os muros da graduação em Direito. Para além das habilidades técnicas jurídicas, que são essenciais para fazer uma boa gestão dos processos, é imprescindível que advogados nessas posições também invistam em sua formação administrativa, financeira e interpessoal.

Um sócio ou gestor jurídico se aproxima, de certa forma, de um empreendedor. Isso porque as tarefas de organização, o contato com clientes e parceiros, a escolha de fornecedores, a gestão de pessoas e a orientação a resultados passam a integrar seu diaadia e, por vezes, a tomar até mais tempo do que a advocacia em si.

Advogados empreendedores, entretanto, devem trazer consigo algumas características específicas para ser bem-sucedidos. Vamos passar por algumas delas:

  1. Visão: um advogado empreendedor deve ter em mente que suas ações precisam sempre ser voltadas para um determinado fim. Ter esses objetivos de maneira clara faz com que você direcione seu esforços de maneira mais eficiente, sem perder a essência da sua organização. Essa visão, aliada com a abertura para o novo permite que você consiga identificar as melhores oportunidades de novos negócios e colocar na balança os seus custos e benefícios.

  2. Disciplina: não adianta ter um plano bem definido se você não conseguir trabalhar metodicamente para alcançá-lo. O diaadia de um gestor é cheio de percalços, distrações e demandas de última hora que podem desviar o seu foco. Analisar balanços financeiros, interpretar os números do escritório e acompanhar indicadores de performance simplesmente não são tarefas factíveis se você tiver que parar tudo para responder um email a cada cinco minutos. Um bom empreendedor tem o espírito curioso e destemido de um pirata, mas mantém as habilidades de execução, organização e rotina de um militar de elite (os chamados navy seals).

  3. Comunicação: saber conversar com clientes, sócios e outros advogados colaboradores é essencial para manter uma estrutura que funcione. Pessoas precisam de contexto e alinhamento para desenvolver qualquer tipo de atividade em conjunto. Aqui é importante ressaltar que como você se comunica pode ser tão importante (ou até mais) do que o que a própria mensagem que você quer transmitir.

  4. Gestão de pessoas: manter um panorama geral das equipes de um escritório, garantir que tudo está funcionando bem e se preocupar com todas as questões que podem impactar a performance das pessoas são algumas das tarefas que mais afetam o desenvolvimento de um negócio. No Direito, isso não é diferente, cuidar das pessoas que trabalham com você e demonstrar isso a elas é a chave para conquistar melhores resultados.

  5. Motivação: líderes devem transmitir energia e influenciar positivamente na moral de suas equipes. Não é fácil se manter um nível constante de entusiasmo e confiança, quanto mais propagar isso para outras pessoas. Aqui, o alinhamento com a visão do negócio é novamente um dos pontos-chave para que gestores consigam elevar a identificação dos advogados com o escritório e canalizar essa energia em resultados positivos.

  6. Aprendizado constante: não é à toa que algumas das pessoas mais bem-sucedidas do mundo passam grande parte dos seus dias lendo. Ser um bom líder passa por cultivar boas referências e se manter sempre atualizado - não só na sua expertise, mas em diversas áreas do conhecimento. Transformações tecnológicas e culturais têm ocorrido de maneira cada vez mais ágil, e acompanhar essas tendências é a maneira mais fácil de implementá-las de forma bem sucedida em seu escritório ou empresa.

Tecnologia para alavancar crescimento

Estar por dentro das melhores tecnologias do mercado pode ser a diferença entre ser um bom ou um ótimo gestor jurídico. Hoje, se inserir digitalmente deixou de ser um diferencial exclusivo para se tornar uma necessidade para qualquer profissional do direito.

Algumas soluções que podem parecer simples, como um gerenciador de tarefas ou uma agenda online, já têm o potencial de transformar a rotina de um escritório. Algumas outras aplicações mais sofisticadas, como sistemas de automação de peças, prometem revolucionar a própria prática da advocacia.

Mas o fato é que, como bom gestor, você deve sempre analisar as demandas do seu escritório, estabelecer quais seriam as prioridades e fazer o cálculo de qual alternativa traz o maior retorno com o menor esforço para o seu contexto atual. Não adianta contratar o software jurídico mais completo do mundo se o problema que mais tem atrapalhado sua equipe é a falta de uma comunicação interna eficiente ou de uma ferramenta que simplesmente auxilie no controle de prazos.

À partir do momento que você entende as necessidades do seu escritório e define as suas metas, é hora de partir para a pesquisa de ferramentas que auxiliam nessas questões. Dessa forma, você consegue criar uma mentalidade que alia gestão e tecnologia com foco em crescimento, evitando distrações e gerando resultados de verdade.

Foco em crescimento: growth hacking

Dados os primeiros passos para uma gestão eficiente e criada uma certa familiaridade com ferramentas tecnológicas, é chegado o momento de começar a fazer experimentos e dedicar seu esforço para o crescimento. Uma expressão muito comum em empresas de tecnologia para esse processo é growth hacking, que tem ganhado cada vez mais relevância também em outras áreas.

Growth hacking não é nada mais do que uma forma de trabalhar o crescimento de seu negócio, com base na construção empírica de melhores práticas a partir de hipóteses e experimentos. O termo foi cunhado à partir da observação de padrões de várias empresas de tecnologia que apresentavam grandes taxas de crescimento, se baseando em testes e análise dos seus resultados.

Basicamente, a ideia dessa metodologia consiste em:

  1. identificar e entender de maneira aprofundada os problemas da organização;

  2. elaborar alternativas práticas para solucionar esses problemas;

  3. selecionar as melhores alternativas e criar experimentos para validá-las;

  4. documentar o processo para aprender com os seus erros e acertos;

Trazendo a metodologia de growth hacking para a área jurídica, podemos supor, por exemplo, que um escritório tenha várias reuniões com clientes, mas esteja fechando poucos contratos. Em uma conversa sobre a questão, uma das hipóteses levantadas pode ser que os contatos estão sendo perdidos após as primeiras reuniões, sem um acompanhamento mais ativo.

Nesse caso, a solução pode vir da implementação de um sistema de controle de relacionamentos (CRM), da reestruturação da reunião de apresentação ou até mesmo da remodelagem do contrato de prestação de serviços. Cabe ao advogado empreendedor selecionar qual alternativa parece mais adequada, proceder com os testes e fazer a análise dos resultados.

E por falar em aprendizado constante…

Se interessou pelo tema? Quer saber mais sobre a figura do advogado empreendedor e como a tecnologia pode te ajudar na prática jurídica?

O Jusbrasil, em conjunto com a OAB-SP, vai realizar um evento gratuito sobre o tema na sexta-feira (20/09). O evento ocorrerá das 09h às 18h, na sede da seccional paulista da OAB e vai contar com alguns dos principais nomes da Tecnologia no Direito do país.

A Ticiana Amorim, nossa gerente de produtos, vai participar como expositora no painel “Como aliar a tecnologia e gestão com foco em crescimento”. Lá, ela vai falar um pouco sobre como a mentalidade empreendedora e as habilidades técnicas jurídicas podem se complementar para trazer resultados para escritórios de advocacia. O seminário vai abordar ainda temas como proteção de dados, criptomoedas e analytics para o Direito.

Para participar, basta fazer sua inscrição por este link aqui e levar um pote de 400g de leite em pó para entregar na recepção do evento.

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)