jusbrasil.com.br
20 de Agosto de 2019

Sempre indignado e com vontade de fazer o melhor para a sociedade. Você conhece o autor Ian Ganciar?

Jusbrasil, Advogado
Publicado por Jusbrasil
há 4 meses

“Desde sempre a indignação e a vontade de melhorar a sociedade andaram juntos”.

É assim que pensa Ian Ganciar Varella, 27 anos, advogado e autor na Comunidade Jusbrasil. Quer conhecer e se inspirar com um pouquinho da trajetória do Ian, dentro e fora do Jusbrasil? Vem com a gente!

Por que escolheu o direito?

A resposta para essa pergunta pode parecer simples, mas não é. Desde sempre a indignação e a vontade de melhorar a sociedade andaram juntos. Se te perguntarem: o Brasil pode ser uma Suíça, o que você responde? Para mim, a mudança depende de cada um de nós. E o Direito é um dos caminhos que podem auxiliar nessa mudança.

Há quanto tempo você exerce a advocacia? Tem escritório?

O exercício da advocacia ocorreu logo ao término da faculdade, então desde janeiro de 2016 sou advogado. Após quatro meses, fui trabalhar como autônomo e abri meu primeiro escritório em Osasco. Em início de 2017, montei um escritório em São Paulo e desde então, trabalho em Osasco e em São Paulo.

Por que decidiu se especializar em direito previdenciário?

Tanto pela questão profissional, pois o escritório em que trabalhava (2015) tinha como intuito fornecer serviços jurídicos voltados ao tema, assim como pela relevância da matéria, isto porque o direito previdenciário faz parte do rol de direitos sociais e fundamentais. Uma pessoa que trabalhou por um longo período de anos tem o direito ao repouso (apesar de que dificilmente a pessoa pára de trabalhar quando se aposenta).

O que fez você começar a publicar no Jusbrasil?

O primeiro contato que tive com o Jusbrasil foi por meio da página Jurisprudência, onde como estagiário ou advogado acessava (acesso) diariamente para pesquisar decisões judiciais, e com isso, vi que tinha como publicar conteúdo. E, dois pontos que me motivaram a publicar no Jusbrasil, primeiro: eu gosto de escrever (é um exercício de reflexão) e segundo: quem produz conteúdo leva a informação para as pessoas e torna seu nome conhecido entre os leitores.

De que forma a discussão da reforma da previdência impactou o seu trabalho?

O principal impacto no meu dia a dia é as dúvidas que surgem sobre a aposentadoria, principalmente, de pessoas que estão prestes a se aposentar. Entendo que o advogado deve orientar e tranquilizar as pessoas (não devemos agir sem informação e com medo).

O conteúdo que você pública no Jusbrasil já te trouxe alguma recompensa?

Acho que é um conjunto de fatores que me trouxe algumas recompensas, e claro que o principal fator é o Jusbrasil, tanto pela comunidade e pela divulgação de artigos no newsletter, isto porque a principal recompensa que um Autor tem é o reconhecimento. Algumas recompensas que cito é ter dois milhões de visualizações em meus artigos (pelas minhas contas) e já fui contratado por alguns clientes que pretendiam se aposentar, requerer uma revisão ou qualquer outra prestação previdenciária.

O que diferencia o autor que você é hoje, do autor que você era quando começou?

A essência é a mesma (motivação de produzir conteúdo e levar um tema para ser discutido), o que mudou é a maturidade na escrita, no conteúdo, na forma de divulgação, de interação.

Você pública desde 2015. Você acha importante pro advogado publicar no Jusbrasil?

Por diversos fatores o advogado deve produzir conteúdo no Jusbrasil. Em resumo, o advogado que escreve artigos está revendo um conteúdo ou fixando um entendimento que teve em seu estudo, além de divulgar seu trabalho e difundir o conhecimento.

Quanto tempo você disponibiliza para participar da nossa comunidade?

Depende muito do dia, mas, na média, participo duas horas do dia e o período em que mais participo é o da manhã.

Você lê artigos no Jusbrasil também? Quais autores você recomenda para leitores da nossa comunidade?

Para não ser injusto, prefiro não recomendar autores em específico. Como faço parte da comunidade desde 2015, muitos autores que seguia e lia os artigos não têm a mesma frequência de publicação que tinham antes. (Se você escrevia e parou, volte a escrever artigos).

Portanto, recomendo que sigam tópicos específicos ou assinem a newsletter do Jusbrasil, pois, em regra, os melhores artigos terão a devida divulgação.

O que considera essencial num artigo? Quais dicas você daria para um autor iniciante?

Não existe uma fórmula mágica – até mesmo porque não quero delimitar sua imaginação – mas gosto de ler artigos com questionamentos ou com foco no debate sobre uma questão, como, por exemplo, a reforma da previdência é a solução para diminuir a dívida pública?

Para ajudar na sua imaginação: leia, veja e escute todo tipo de assunto.

Por fim, ao publicar sobre um tema, como aposentadoria especial, foque em estudos científicos, teses de mestrados e decisões judiciais, por exemplo.


Este conteúdo faz parte da missão da nossa comunidade: Responder todas as questões jurídicas. Ainda não conhece a comunidade Jusbrasil? Saiba mais sobre como ajudamos o Brasil a ser um país mais justo.


7 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Venho acompanhando a trajetória do Dr.Ian Varella, aqui na plataforma Jusbrasil.
Quando tenho dúvidas acerca de Previdência, recorro-me ao nobre colega.
O maior valor que vislumbro no colega é a humildade e simplicidade com que repassa os seus conhecimentos, deixando o cidadão e leitor jusbrasileiro informado.

Discreto, ele nem divulgou, mas também possui um canal no YouTube, onde sou, inclusive, inscrita, e venho aprendendo bastante.

Homenagem mais que oportuna!
O senhor merece, caro Dr.Ian Varella!
Obrigada, Jusbrasil! continuar lendo

Muito obrigado Dra. pelo reconhecimento.

Fico muito feliz em poder ajudar a Dra e os demais leitores da comunidade.

Abraços. continuar lendo

Sempre referência em textos previdenciários e notícias pontuais sobre a matéria!
Muito bom conhecer um pouquinho de você, @ianvarella.
Obrigada pela entrevista! continuar lendo

Muito obrigado Dra.

O conhecimento deve ser compartilhado, ainda mais quando se refere a novos entendimentos ou novas teses jurídicas.

Abraços. continuar lendo

Ainda estou estudando muito para chegar próximo do seu conhecimento, mas nada melhor que um estudante de direito que possa falar das suas dúvidas profissionais, medos e novos desafios que não tem ideia nesse mercado tão competitivo.Mas uma coisa aprendi com o Doutor, humildade e o prazer de ajudar aos outros, compartilhando conhecimentos, é uma das leis pétreas no ramo jurídico. continuar lendo