jusbrasil.com.br
25 de Maio de 2022

5 erros comuns ao contratar correspondentes e como evitá-los

As dicas do que não fazer para sempre contratar correspondentes de confiança e qualidade profissional.

Jusbrasil, Advogado
Publicado por Jusbrasil
há 4 anos

É muito provável que você queira manter uma rotina de trabalho eficiente no seu escritório de advocacia. Não é uma tarefa fácil.

Para começar você precisa escolher pessoas para compor a equipe, fazer o pagamento de salário, distribuir as tarefas, dar feedback, etc. Isso leva tempo e, ainda assim, nada está imune a erros e tropeços.

Agora imagina tudo isso quando o seu escritório precisa de um advogado com urgência para fazer uma audiência ou diligência em outro lugar! Nessas horas, as coisas precisam ser rápidas e não há tanto espaço para erros, afinal você está lidando com problemas sérios de clientes.

Como, então, acertar na escolha do correspondente jurídico sem errar e sem perder tempo valioso do seu escritório?

Para começar, evite erros como...

Não procurar o histórico do correspondente

Hoje você pode contratar um correspondente por meio de grupos de WhatsApp, Facebook, fóruns de sites de advocacia, etc. A facilidade é notável. Mas você se arriscaria a contratar um correspondente sem saber a procedência e histórico de atuação dele?

Será que ele já deixou de ir a uma audiência ou não soube o que fazer durante o andamento dela, por exemplo?

Não analisar a procedência de um correspondente jurídico é um erro que pode custar caro. Procure comentários e avaliações sobre o profissional que for contratar. Dê preferência a sites e aplicativos que ofereçam essa alternativa.

Não avaliar o serviço do seu correspondente

Esse erro tem muito a ver com o anterior. Avaliação é uma coisa muito importante, pois, além de dar um feedback para quem prestou um serviço e fazê-lo aprender com os possíveis e eventuais erros, ajuda outras pessoas a tomarem uma decisão mais acertada.

Estamos cercados por esse modelo de avaliação e feedback quando pedimos um motorista, alugamos um apartamento, pegamos um quarto de hotel, fazemos uma viagem de avião, por exemplo. Com o serviço de correspondente jurídico não poderia ser diferente, ainda mais sendo algo tão sensível.

Seja qual for o meio que você usar para contratar um correspondente, deixe comentários, elogios e críticas construtivas para que todos se sintam motivados a melhorar ou até contratar alguém mais qualificado.

Importante! Lembre-se de que posturas não-profissionais ou antiéticas devem ser reportadas aos órgãos fiscalizadores da profissão.

Não ter um processo de pagamento estruturado

Para um escritório de porte pequeno, pagar um correspondente ou outro é muito mais fácil. Já quando esse tipo de operação é uma constante na operação do escritório a coisa fica complicada. Pense que lidar com um monte de faturas e cobranças pode ser um pesadelo para a parte financeira.

É muito provável que você separe uma parte da equipe para lidar com essa parte específica, mas já parou para pensar que o certo é investir mais tempo em atividades estratégicas, intelectuais e de muito maior impacto do que em coisas burocráticas? Advogados esperam advogar e não lidar com burocracias e planilhas.

A atitude mais correta é estruturar e automatizar os pagamentos com uma aplicação única, que permita pagamentos em bloco e lhe forneça relatórios e recibos completos. Seus gastos com correspondentes ficará muito mais transparente. Sua equipe agradece.

Não passar informações suficientes para o correspondente

Ao ser contratado um correspondente deve estar preparado tecnicamente para cumprir o seu trabalho, isso é claro. Tão importante quanto é que ele esteja munido com o máximo de informações informações úteis sobre o caso ou diligência para que ele possa ter o máximo de contexto possível e assim fazer um bom trabalho.

Evite atrasos ou retrabalhos. Seja detalhista e se programe para encaminhar todas as informações com antecedência.

Não pagar um valor justo pelos serviços

Todo serviço tem um preço e quanto melhor e mais dedicado o prestador mais ele será valorizado. Certamente o seu escritório se dedica com afinco a todas as causas e cobra um valor justo, não aceitando valores irrisórios pelo seu trabalho.

Remunerar um correspondente com valores razoáveis e adequados ao nível de dedicação e trabalho é o mínimo que se pode fazer. Com isso evitamos que profissionais deixem de se dedicar à atividade e reduzimos o número de serviços de menor qualidade.

Eficiência e economia andam sempre juntas. Quanto mais o trabalho encaixa com profissionais de qualidade e melhor o ritmo para lidar com as burocracias, mais produtivo ele será.

>> Descubra agora quanto pode economizar na gestão e diligências e audiências, usando a calculadora de custos.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Existe, ainda, outra situação, quando o correspondente ingressa com Reclamatória Trabalhista pedindo vínculo de emprego com o contratante. continuar lendo