jusbrasil.com.br
20 de Agosto de 2019

Guia de Conduta da Comunidade Jusbrasil

Tudo o que você precisa saber para contribuir e aproveitar a comunidade Jusbrasil.

Jusbrasil, Advogado
Publicado por Jusbrasil
ano passado

Seja bem-vinda ou bem-vindo à Comunidade Jusbrasil. Esse é um resumo das nossas principais regras.

  • § 1º Nossa missão é responder a todas as questões Jurídicas. Cidadãos, sejam eles profissionais ou não, têm dúvidas sobre direitos, deveres e sobre prática profissional. São questões simples e que podem ser respondidas com linguagem mais técnica (artigos acadêmicos, modelos e peças) ou mais acessível (artigo informativo, perguntas frequentes). A comunidade Jusbrasil identifica e responde essas questões, usando as ferramentas da plataforma. Veja as perguntas abaixo, por exemplo, todas elas encontraram respostas em formato de publicação:

  1. O que é impeachment?

  2. Você sabe a diferença entre a Mediação e a Conciliação?

  3. Qual a diferença entre capacidade processual e capacidade postulatória?

  • § 2º Cada membro é responsável pelo conteúdo que pública. O Jusbrasil é uma comunidade jurídica baseada numa plataforma aberta e livre. Estamos comprometidos com a difusão de conhecimento jurídico de qualidade e em responder todas as questões que um cidadão possa ter sobre direitos. Não somos um editorial nem endossamos ou certificamos as opiniões emitidas nas publicações. A qualidade, fundamentação e veracidade da informação são um compromisso de cada membro.

  • § 3º Zelamos em conjunto pelo conteúdo da Comunidade. O Jusbrasil oferece ferramentas para que todos possam garantir o nível de qualidade das publicações e comentários. Se um conteúdo ou perfil é inadequado ou desrespeita as políticas e regras do Jusbrasil, o uso da ferramenta de Reporte é o mais apropriado; se há algo a ser corrigido ou complementado, é possível usar o espaço de comentários; se uma publicação demonstra qualidade e propriedade, o botão Recomendar recompensa e estimula novas publicações do mesmo nível.

  • § 4º Expresse sua opinião e argumentos com respeito. Discordar é inevitável. Apresentar argumentos plausíveis para sustentar as nossas opiniões, respeitando as contrárias, é indispensável. Denúncias e reportes contra publicações ou comentários com ofensas diretas e pessoais, discursos de ódio, assédio, conteúdo sexual e outras situações que estejam em desacordo com a Política de Respeito e Gentileza do Jusbrasil serão moderadas e deverão ser removidos. Usuários e perfis reincidentes poderão ter contas suspensas ou inativadas.

  • § 5º Todos são responsáveis pela organização do conteúdo. A ferramenta de Tópicos (as tags do Jusbrasil) permite que toda informação seja organizada por assunto, o que facilita o acesso por qualquer um que deseje encontrar uma informação. Como adicionar tópicos?

  • § 6º Mostre sua identidade real. Todo perfil no Jusbrasil deve ter o nome do próprio usuário, sendo aceitável nomes fantasias em perfis institucionais. Perfis falsos ou múltiplos perfis de uma mesma pessoa, usados para fins escusos, serão inativados.

  • § 7º Seja honesto e entregue valor. Usar métodos para manipular o desempenho das publicações, ou fazer publicações superficiais com links redirecionando para sites externos (spam) são atitudes reprováveis e prejudiciais para a comunidade. Entregue valor real em suas contribuições e as interações acontecerão naturalmente. Perfis com atitudes suspeitas serão notificados e, se reincidentes, inativados.

  • § 8º Seja dono ou tenha o direito de publicar um conteúdo. As contribuições devem ser autorais e inéditas. Antes de replicar algum conteúdo (notícias ou artigos externos, por exemplo), assegure-se de que você seja o titular dos direitos; tenha autorização do detentor desses direitos; esteja protegido pela Lei de Direitos Autorais; ou tenha, de alguma forma, agregado originalidade e valor ao conteúdo republicado. Caso replique algum conteúdo, assegure-se de que indicou a fonte de origem.


Que conhecimento você pode compartilhar hoje? >> Saiba como publicar no Jusbrasil


* Para saber como funciona o Jusbrasil acesse o nosso Canal de Ajuda ou leia Um guia prático das ferramentas Jusbrasil

40 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Muito bem posto o § 6º. Já tenho reclamado aqui de alguns perfis que não se identificam. Nomes como "Zé da Silva", sem nenhum outro dado que possa identificar o sujeito, nem mesmo uma foto, e são justamente os que veem para criar polêmicas políticas totalmente divorciadas do propósito da comunidade. Fora alguns perfis como "direito etc", por exemplo, onde quem escreve não se identifica pessoalmente e não há quem assuma o conteúdo. Acho mesmo que o Jus Brasil deve monitorar a atividade de perfis assim. continuar lendo

Obrigado pela contribuição Christina. Mas é muito importante que esse tipo de comportamento seja reportado para que haja uma moderação e atuação sobre eles, o que tem muita relação com o § 3º. Esperamos que todos colaborem com a vigilância e zelem pela qualidade das contribuições. Abraço =) continuar lendo

Pleno acordo, Christina Morais. Como uma citação caipira antiga: "Escondendo-se atrás da moita"... continuar lendo

E eu continuo com saudades dos moderadores do portal.
Acho que ao inovar, o Jusbrasil foi um pouco além e muita gente 'esculhambou' e ainda está bagunçando uma plataforma seríssima e com uma equipe tão boa e competente na direção.

Segurem os lemes, cabras!

O problema é que se deixou alguns 'autores' ditarem suas próprias regras, postarem, sem critérios, e o negócio complicou...

Desde 2010, 2011 estou por aqui, portanto, acredito poder falar e expressar minhas experiências, com propriedade.

Amo todos os gestores do Jusbrasil, mas queria poder olhar bem fundo nos olhos de alguns deles e despejar minhas ideias guardadas a sete chaves em prol de melhorias.

Sempre digo: quem está dentro de um labirinto, demora para achar a saída, mas quem está de fora, observando, identifica-a rapidamente.

Mas eu amo esse povo e faço meu papel, submeto-me às diretrizes da plataforma e sou feliz em cada dia mais ser reconhecida como a Fátima Burégio do Jusbrasil! continuar lendo

Oi, Fátima a moderação não acabou de forma alguma, pelo contrário ela está bem ativa. Veja como você, por exemplo, já incorporou essa visão de preservar e zelar pelo melhor conteúdo. Você é uma moderadora nata e contribui para o trabalho de manutenção da qualidade do Jusbrasil. Membros como @christinam e @pedromaganem ajudam e muito nisso, sendo verdadeiros embaixadores do Jusbrasil.

Nós da área jurídica estamos acostumados a cargos e responsabilidades individualizadas, pouco nos envolvemos em resolver problemas coletivamente, talvez por isso mantenhamos uma visão tradicional e um tanto burocrática e procedimental. A moderação é dever de todos e não significa barrar conteúdo: significa evoluir todos para que sejam pessoas melhores e membros melhores.

Além do mais, como um pequeno grupo de moderadores poderia substituir a própria comunidade e dizer o que ela deve ou não ter acesso?

Várias comunidades (Wikipédia, Quora, Medium) funcionam com trabalho coletivo a posteriori. O que precisamos é incorporar o papel de "embaixadores" comprometidos com a vigilância e zelo pelo conjunto. Sensibilidade para evoluir os demais, acreditando que eles podem evoluir sempre.

As pessoas duvidaram da Wikipédia e hoje as informações dela são comparadas a principais revistas científicas em nível de qualidade e veracidade de informação. Isso porque é um trabalho coletivo, em que todos com capacidade para reconhecer erros e complementar a informação ajudam com a sua parcela.

A responsabilidade compartilhada funciona muito melhor e temos plena compreensão disso.

Resumindo: a moderação está bem viva. #SomosTodosEmbaixadoresJusbrasil continuar lendo

Fico lisonjeada pelo título de embaixadora do Jusbrasil. Nem sei se mereço, mas agora, mais que nunca farei o possível para ser mais vigilante. Tanto em relação aos conteúdos que eu mesma publico em comentários, artigos e notícias, quanto no compromisso de reportar ações suspeitas ou flagrantemente antiéticas. Agradeço a confiança Matheus Galvão! continuar lendo

... 'Sensibilidade para evoluir os demais, acreditando que eles podem evoluir sempre'....
Então tá dito, feito e sacramentado, caro Matheus!
Vocês estão inseridos no sistema, são experts, sabem tudo do seu ramo de negócios...
Não retiro o que disse anteriormente, pois aprendi que palavras ditas, são flechas lançadas.
Continuarei a Moderar como, quando e do jeito que posso, viu?

Um abraço! continuar lendo

@fatimaburegio e @christinam Acredito até que podemos trabalhar de maneira coordenada e conjunta. Como disse, o trabalho limitado aos moderadores acaba sendo exercido de maneira subjetiva. Quando membros endossam que determinado conteúdo é realmente inadequado fica mais fácil perceber e limitar certo tipo de comportamento, a coisa fica mais objetiva e compartilhada. Sem ser uma decisão "monocrática" rs.

Vocês têm total acesso, entrem em contato sempre, seja reportando, seja contribuindo com ideias, as suas estão todas anotadas @fatimaburegio. continuar lendo

...Sem ser uma decisão "monocrática" rs. ...

Você é muito espirituoso, caro Matheus.
Além de elegante e educado.
Por estas e outras é que amo vocês 'tudin'.
Grande abraço! continuar lendo

Grande @galvomatheus!

Fico feliz de me considerar um colaborador do portal. Apenas faço o possível para manter o nível do espaço e contribuir com as políticas do JusBrasil. Até pq precisamos de pessoas que venham a somar e não a diminuir ou dividir (já tem mtas espalhadas por aí).

Esse espaço deve ser aproveitado o máximo possível para que a gente consiga ajudar a sociedade a evoluir.

Contem sempre comigo.

Um grande abraço! continuar lendo

Boa. Eu estou tão desanimada com certas postagens (continuam respondendo a quem posta) em vez de debater o texto em questão. Imagino como devem se portar na vida privada. Obrigada JusBrasil. continuar lendo

Esse mal não existe só aqui!! Está espalhado como um câncer em toda rede social, já percebeu?

Falácias do espantalho e do "ad hominem" é o que mais se vê nesse cipoal de posts e comentários!

As pessoas não querem debater ideias. Querem exercitar sua vaidade... Não querem divergir e somar. Querem falar apenas com quem pensa igual e se prender em sua própria bolha!

E só! Isso sim é desanimador! continuar lendo

Pois é. Fui ler um artigo onde não havia nada escrito. Apenas colações de doutrinas e jurisprudências sobre o tema do título. Mas o autor não escreveu nada. Ninguém, dos 7 leitores, recomendou ou respondeu ao artigo. Eu fui a única que me dei o trabalho de dizer que gostaria de ler o artigo ante a relevância do tema (demonstrando interesse em saber o que pensa o colega), mas que não havia nada além de colações. Em vez de editar para escrever alguma coisa, ou simplesmente ignorar (o que em ambiente virtual é mais elegante que estender um assunto sem necessidade), o cara respondeu: "faça melhor". É mole? Ele que tinha que fazer melhor e eu não fui grossa a ponto de dizer isso assim, na lata, com todas as letras. Então sim, Inayara e Meliunas & Morais. O que mais tem é gente que não sabe como atuar e nem tampouco como se comportar. continuar lendo

Eita, só agora que eu percebi que postei aí em cima logado com o perfil do escritório...rsrs!

Num post em que falamos justamente sobre perfis sem a devida identificação, fica difícil eu ter aparecido aí como uma "pessoa jurídica"...rsrs!

Desculpem! Considerem, portanto, o meu perfil aí no lugar do Meliunas & Morais... continuar lendo

Jucemar e Christina, é isso mesmo. Vocês me animaram, ainda tem jeito! Obrigada, abraços! continuar lendo

Jucemar, estar logado no perfil de um escritório que existe no mundo já é alguma coisa. Pior são pseudos pessoas físicas que não se identificam com mais de que um nome, que pode ou não ser verdadeiro. Esses são os piores. continuar lendo

Após muitos anos neste site, recentemente foi a primeira vez que um jovem, cujo nome vou omitir, infringiu mesmo que indiretamente o constante do parágrafo 4º, onde entre outras citações, citou que aqui não é lugar para leigos, que deveriam ser banidos, etc. Presumo que o jovem em questão desconhece que, respeitando-se as normas que regem o Jusbrasil, conforme acima, é um site ABERTO a todos, sejam da área jurídica ou não. Bom que, assim como eu, ele também leia o presente texto, muito esclarecedor, sem deixar dúvidas. continuar lendo