jusbrasil.com.br
5 de Julho de 2022

"O Fim dos Advogados?", reúne estudos em homenagem ao Professor Richard Susskind

Obra traz visão sobre o futuro da profissão em uma leitura para os advogados e juristas.

Jusbrasil, Advogado
Publicado por Jusbrasil
há 3 meses

Você deve ter achado este título provocativo, não? Pois essa foi a intenção dos autores de "O Fim dos Advogados?", obra que reúne estudos em homenagem a Richard Susskind, professor britânico que dedicou as últimas décadas em pesquisas, produzindo trabalhos sobre as transformações no mercado jurídico e tecnologia.

Conhecido como um dos nomes mais lembrados quando o assunto é o futuro da advocacia, advogado do amanhã e direito 4.0, seus estudos na área começaram em 1980. Confira 3 importantes palestras do Professor Richard Susskind:

A obra "O Fim dos Advogados?" disponível no acervo do Jusbrasil Doutrina em parceria com a Revista dos Tribunais, faz um compilado de conteúdos poucos explorados em nossa literatura, e nas palavras dos autores sugere:

"Uma releitura propositiva para a transformação da profissão jurídica como ela sempre foi executada até hoje".

O livro é dividido em três partes:

  1. Acesso à justiça em movimento;

  2. A nova cara da advocacia;

  3. Transformação da educação jurídica. Acesso a Justiça em Movimento.

    Coordenado por:

    • Bruno Feigelson é Doutor e mestre em Direito pela UERJ. Sócio do Lima ≡ Feigelson Advogados. CEO do Sem Processo.
    • Daniel Becker é Advogado e Diretor de Novas Tecnologias no Centro Brasileiro de Mediação e Arbitragem (CBMA).
    • Giovani dos Santos Ravagnani é Doutorando e mestre em Direito Processual Civil pela Universidade de São Paulo. Membro do Instituto Brasileiro de Direito Processual (IBDP). Diretor Jurídico da Buser.

    Que tal algumas leituras sugeridas neste contexto?

    Conheça as novas obras do Jusbrasil Doutrina clicando aqui, e confira o que os maiores Doutrinadores do país publicaram sobre o tema que você procura. Já são mais de 800 obras no acervo, em uma curadoria de peso e várias novas chegando toda semana.

    Informações relacionadas

    Bernardo de Azevedo e Souza, Advogado
    Artigoshá 3 anos

    3 palestras de Richard Susskind para entender o futuro do advocacia

    Jusbrasil, Advogado
    Artigoshá 3 meses

    Tem novidade pra você!

    Leonio Almeida, Advogado
    Modeloshá 4 anos

    Recurso Eleitoral

    Breno Rivas Souza Lima, Estudante
    Modeloshá 4 anos

    Modelo de Recurso de Multas em Rodovias Federais - Policia Rodoviária Federal.

    Blog do Jusbrasil
    Artigoshá 6 meses

    Como o metaverso deve impactar o exercício da advocacia contemporânea?

    7 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    O câncer jurídico está diretamente ligado à falta de profissionalismo da magistratura. Os tribunais deveriam sim, passar por auditorias. É lastimável processos em andamento, por décadas. E querem culpar os ADVOGADOS? continuar lendo

    Existem questões que precisamos resolver por nós mesmos, porque se depender do Judiciário, a resposta será lenta demais. Infelizmente o EGO exacerbado de alguns profissionais impede a conciliação. continuar lendo

    O fim dos advogados, eu não diria! Porém eu diria o fim de uma Justiça retrógrada e menos burocrática, defendo a Advocacia Extrajudicial. Menos morosa! continuar lendo

    A advocacia extrajudicial sempre existiu... o problema é que existem pessoas que só querem levar vantagens, não reconhecem os próprios erros e não cedem em nada... por isso as questões não são resolvidas numa fase pré-processual. Tem gente utilizando o processo judicial de MÁ-FÉ para obter vantagem! Imagina na fase extrajudicial.... continuar lendo

    Enquanto existir o ser humano, existirão conflitos. Enquanto existirem conflitos, advogados serão essenciais. Enquanto existir o Estado, existirá burocracia. Enquanto existir burocracia, advogados serão essenciais. Os seres e as organizações são essencialmente diferentes. A igualdade é virtual, ideal e hipotética. Advogados existirão para sempre e a maior ameaça à classe são eles mesmos.

    Em UTOPIA, de Thomas More, não existiam mais advogados. Em Utopia, vejam bem, Utopia!!!! continuar lendo

    Há um velho ditado que diz:"Não há mal que sempre dure e nem bem que nunca se acabe."
    Se levarmos em conta a morosidade e a complexidade da justiça brasileira, já deveria ter se acabado há muito tempo.
    As vastas possibilidades de recursos de ambas as partes, sem contar a complexidade das leis, além de cansar o operador do Direito, desmotiva qualquer cidadão a buscar caminhos jurídicos para resolver uma lide. continuar lendo